Você sabe qual o custo da oportunidade de um projeto ou investimento? Sabe dizer se é mais vantajoso investir num negócio ou guardar o dinheiro? Esta é uma pergunta cuja resposta é item básico a ser obtido em qualquer projeto de investimento. O custo de investir ou mesmo o custo de não investir (a oportunidade perdida).

Fernando Pessoa em “Teoria e Prática do Comércio” escreveu sobre a oportunidade: “Oportunidade, para o homem consciente e prático, é aquele fenómeno exterior que pode ser transformado em consequências vantajosas por meio de um isolamento nele, pela inteligência, de certo elemento ou elementos, e a coordenação, pela vontade, da utilização desse ou desses. Tudo o mais é herdar do tio brasileiro ou não estar onde caiu a granada.”

Ou seja, a oportunidade para ser aproveitada requer preparação. Todo o restante é contar com a sorte. E é desta mesma forma que os projetos que buscam fundos europeus são avaliados. O custo da oportunidade precisa ser claro para quem irá executar o projeto (sua empresa) e para quem irá aportar fundos (UE, banca e sócios ou investidores).

Custo da oportunidade, resultados e saúde financeira

Já tratamos sobre cálculo do VAL e tesouraria em outro conteúdo. Para um projeto comparticipado por fundos europeus é preciso apresentar um projeto sólido e, muito importante, uma empresa sólida!

É preciso comprovar através de números os objetivos esperados e sua viabilidade. É preciso comprovar que:

  • a empresa possui o restante do capital;
  • o fluxo de tesouraria da empresa será capaz de suportar o projeto pois os aportes não são necessariamente adequados à necessidade de tesouraria da empresa;
  • comprovar que a empresa não possuí dívidas fiscais
  • entregar os resultados prometidos

Classificação das candidaturas e mérito do projeto

Por último mas não menos importante temos o mérito do projeto. Cada aviso de candidatura possui uma indicação de como estas serão avaliadas e pontuadas. É importantíssimo perceber que existirá uma concorrência feroz por estes fundos. Muito boas ideias e muito boas empresas irão concorrer aos mesmos recursos. Como serão definidos os ganhadores? Pelo mérito!

Cada candidatura será avaliada e receberá pontos por itens específicos. Como as verbas são limitadas somente as candidaturas com a maior pontuação irão efetivamente receber os aportes europeus.

Ou seja, não basta ser elegível, ter uma boa ideia e ser viável. É preciso comprovar que o projeto é bom e melhor que os demais. Quanto maior a avaliação do mérito, maiores as chances de obter o sucesso.

Complexidade de uma candidatura

Um último ponto a destacar é que, apesar da promessa do governo português de simplificar o processo de candidatura, é importantíssimo ressaltar que o processo de candidatura é complexo. Por isto, todo o cuidado na elaboração da candidatura é algo fundamental para aumentar as chances de sucesso.

Lembre-se que um projeto não precisa ser fácil. Precisa sim ser viável!

Possui uma empresa e precisa de apoio nos desafios de gestão, redução de custos ou otimização? Entre em contato conosco e veja como podemos ajuda-lo! Clique aqui e saiba mais.

Leave a Reply

Share via
Copy link
Powered by Social Snap