A palavra bazuca tem sido muito utilizada nos últimos tempos, para efeitos de comunicação para enfatizar o poder e a importância da ajuda financeira que a UE poderá dar a Portugal como forma de combater a pandemia e ajudar na retoma econômica.

O que é uma bazuca?

Se falarmos em números, porém, sabemos que esta ajuda valerá algo em torno de 3% do PIB (valor inferior à queda deste indicador com a pandemia) e, para além disso, uma parte significativa deste está a ser atribuído a uma série de projetos públicos, na área das obras públicas, bem com o financiamento do SNS (pelo que se conhece até este momento). Isto significa que o valor disponível para injetar na economia privada na forma de apoio às empresas será ainda menos.

Ainda assim, estamos a falar de muito dinheiro. E se pensarmos numa bazuca, veremos que esta não é uma arma das mais potentes, destinada a ter impacto sobre uma vasta área indiferenciada, de alvos indiferenciados. Ela é mais uma arma de mão, potente, mas de precisão, cujo objetivo será o de conseguir abater, um a um, o maior obstáculo que as empresas têm pela frente. É preciso pois, saber qual o alvo a abater, apontar bem, e disparar. E é isso que se requer das empresas.

Mas afinal o que é esta bazuca – Plano de Recuperação e Resiliência?

Foi criado pela UE um mecanismo extraordinário de emissão de dívida europeia, que levantará os fundos necessários para financiar 750.000 Milhões de Euros num plano de recuperação global. O PRR é o programa português que especifica como o nosso quinhão de fundos será gasto. E tem de seguir as diretivas estratégicas europeias quanto às áreas que devem ser desenvolvidas.

Seguindo estes princípios, o plano português (PRR) orienta-se em 3 grandes eixos:

  1. Resiliência – Com 3 grandes áreas:
    • Vulnerabilidades Sociais
    • Potencial produtivo e emprego
    • Competitividade e coesão territorial
  2. Transição climática – apostado numa transformação para uma economia verde e fazer face às alterações climáticas:
    • Mobilidade sustentável
    • Descarbonização e bioeconomia
    • Eficiência energética e renováveis
  3. Transição digital
    • Apostando mais na escola e aprendizagem digital
    • No programa Empresas 4.0
    • E numa administração pública digital.

A verdade é que, de momento, os detalhes mais exatos de como estes planos vão ser executados ainda não estão disponíveis. Mas, sendo certo que pela natureza das prioridades acima descritas haverá, como se disse, um forte quinhão de investimento direto público, outras áreas há que incidem especificamente sobre áreas de natureza primordialmente privada, sendo de esperar que haja uma intervenção com uma Acão concertada entre estas duas vertentes.

Mas como será que esta situação poderá beneficiar a empresa do leitor? Para já, recomendo uma procura na internet sobre o tema, deixando abaixo o link governamental relativamente ao programa:

https://www.portugal.gov.pt/pt/gc22/comunicacao/documento?i=plano-de-recuperacao-e-resiliencia-recuperar-portugal-2021-2026-plano-preliminar-

Mas o que é esperado é que haja um novo conjunto de planos e programas comunitários de apoio às empresas na áreas a serem desenvolvidas, de acordo com as prioridades definidas. Do ponto de vista individual, recomendamos então que haja um procedimento muito atento para podermos aproveitas estas benesses. Mas sendo ainda difícil prever qual o comportamento da economia, com os altos e baixos do números e comportamentos sociais, recomendamos então o seguinte:

  • Conheça bem o seu negócio. Conheça o seu mercado. Se possível alicerce-o num bom plano de negócios e de marketing/vendas. Saiba quanto tempo resiste, quais as suas balizas e pontos de não retorno
  • Acompanhe a economia, e com base no ponto anterior, estabeleça cenários alternativos. Veja quais os sectores importantes que estão a aparecer, e como podem ser aproveitados.
  • Acompanhe os detalhes do PRR. Veja quais os programas de apoio que dele vão sair, quanto dão e para quê. Atenção às prioridades definidas. E esteja preparado. Com os dois pontos anteriores bem dominados, poderá apostar num projeto de financiamento europeu ao abrigo do PRR, e isto pode fazer toda a diferença.
  • Mas no fim, o que importa, é saber se o que pode obter é de facto relevante para si, individualmente, e para a sua empresa. E que impacto específico irá ter.

Da nossa parte, se precisar de algum tipo de ajuda em qualquer dos pontos anteriores, estaremos cá para o ajudar, desde o plano de negócios, plano estratégico, tesouraria e finanças, Marketing.  Em função da sua necessidade e da sua medida. E no final, estaremos aqui para apoiá-lo na submissão de uma candidatura.

Possui uma empresa e precisa de apoio nos desafios de gestão, redução de custos ou otimização? Entre em contato conosco e veja como podemos ajuda-lo! Clique aqui e saiba mais.

Leave a Reply

Share via
Copy link
Powered by Social Snap